Conheça as causas do refluxo gastroesofágico e como prevenir a doença!

Embora o nome seja complicado, as causas do refluxo gastroesofágico já foram amplamente estudadas. Ainda assim, é normal ter dúvidas sobre o assunto e se sentir inseguro diante do diagnóstico.

Em um cenário ideal, toda alteração de saúde deve ser comunicada a um profissional competente para iniciar o tratamento adequado. É assim que acontece com a criança que precisa usar um aparelho móvel infantil e com um adulto que precisa tratar a enxaqueca, não é mesmo?

No caso do refluxo gastroesofágico, o atendimento pode ser iniciado por um clínico geral que fará o encaminhamento para um gastroenterologista. Mas, para que você já entenda melhor do assunto, preparamos este post com informações essenciais. Acompanhe!

O que é o refluxo gastroesofágico?

O refluxo gastroesofágico é caracterizado pelo retorno do suco gástrico do estômago para o esôfago. O problema causa dor e pode gerar uma inflamação na parede do esôfago e deve ser tratada o quanto antes.

Sempre que nos alimentos, o bolo alimentar passa pelo esôfago até chegar ao estômago. Lá, é possível identificar um músculo, conhecido como esfíncter esofágico inferior. Sua função é atuar como uma porta, que impede que o ácido estomacal não volte para o esôfago.

Porém, em algumas pessoas, esse músculo não consegue cumprir a função. Com isso, os movimentos estomacais acabam fazendo com que essas “portas” se abram e o ácido vá em direção à boca.

Quais as causas do refluxo gastroesofágico?

Como vimos, o refluxo gastroesofágico tem sua origem em alterações no funcionamento do esfíncter. Desse modo, o músculo não consegue cumprir seu papel e permite que o alimento e o ácido presente do estômago retornem para o esôfago.

Mas por que isso acontece? É preciso deixar claro que, ao analisarmos as causas do refluxo, diversos motivos podem surgir. Então, é necessário que o médico investigue de forma aprofundada cada caso.

Em alguns casos, o problema pode até estar associado ao uso de certos medicamentos. Se você está passando por este desconforto, vale a pena conferir os fatores de risco e possíveis causas:

  • Hérnia de hiato — apenas 25% dos pacientes;
  • baixa produção de saliva;
  • obesidade;
  • dieta rica em alimentos gordurosos;
  • tabagismo;
  • idade superior a 50 anos;
  • alcoolismo;
  • uso frequente de remédios anti-inflamatórios;
  • estresse.

Quais os sintomas do refluxo gastroesofágico?

Os sintomas de refluxo gastroesofágico costumam surgir pouco tempo após as refeições. Em geral, o maior desconforto é a sensação de queimação no estômago, que pode se estender para o peito e a garganta.

Além disso, podemos listar outros sintomas clássicos, como:

  • dores no tórax;
  • arrotos;
  • azia;
  • indigestão;
  • tosse seca após as refeições;
  • regurgitação de alimentos;
  • Laringite;
  • infecções de vias áreas frequentes.

É interessante dizer que tais sintomas tendem a se agravar quando a pessoa se deita após as refeições, especialmente no período noturno. Além disso, é possível que o quadro evolua para uma inflamação na parede do esôfago, conhecida como esofagite.

Quais as possíveis complicações do refluxo gastroesofágico?

O refluxo gastroesofágico é uma doença que merece uma atenção especial, isso porque pode desencadear sérias complicações. Por isso, assim que os primeiros sintomas surgem, é necessário buscar ajuda médica.

Na prática, a parte inferior do esôfago tende a ser comprometida com a exposição frequente ao conteúdo do estômago e isso causa inflamações severas. Entenda o que esse problema pode causar:

  • Esofagite — inflamação do esôfago;
  • Esofagite Erosiva — presença de feridas abertas no local;
  • Estenose Esofágica — estreitamento do esôfago;
  • Odinofagia — dor ao engolir alimentos e bebidas;
  • Câncer de esôfago.

Além de todas essas complicações, existem pacientes que enfrentam hemorragias. Os sangramentos podem ser discretos ou mais intensos e podem ser percebidos no vômito ou nas fezes. Lembrando que isso pode causar anemia.

Como é feito o diagnóstico da doença?

Conforme destacamos, o paciente deve estar atento a presença desses sintomas, principalmente quando se prolongam. Azia e queimação constante não é normal!

Se você enfrenta algo semelhante, não demore para ir ao médico. O diagnóstico preciso depende de alguns exames médicos, como uma endoscopia e biópsia.

No entanto, é importante destacar que, em muitos casos, o médico consegue finalizar o diagnóstico sem esses exames. Assim, quando o quadro é muito evidente, o tratamento é iniciado imediatamente.

Porém, caso necessário, a endoscopia é o primeiro exame realizado. Ela é feita por meio da inserção de um tubo flexível com uma câmera pela boca até o estômago. Dessa forma, o médico consegue visualizar o local e identificar úlceras, inflamações e até o câncer.

Se julgar importante, o médico também pode retirar uma pequena porção do tecido para a realização de uma biópsia. Caso os dois exames não demonstrem alteração, o médico pode solicitar um exame para averiguar o pH no estômago e esôfago.

Cuide da sua saúde e busque sempre ajuda médica!

Conseguiu tirar suas dúvidas sobre o refluxo gastroesofágico? Todo assunto relacionado à nossa saúde e bem-estar precisam ser levados a sério. Por isso, buscar mais informações e entender o problema é muito importante.

Agora que você teve uma visão geral dessa doença, é hora de buscar ajuda médica e seguir as orientações recebidas. Saiba que o problema tem cura e você poderá se livrar desses sintomas tão incômodos.

E, claro, não deixe de acompanhar nosso blog para ter acesso a mais conteúdos como este!

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia mais