- Publicidade -

YouTube aumenta combate a adblocks visando impulsionar anúncios e assinaturas Premium

0

YouTube intensifica batalha global contra adblocks

- Publicidade -

O YouTube, declarou na última quarta-feira (1), sua posição firme em relação ao uso de adblocks, que são aplicativos de bloqueio de anúncios, em sua plataforma. No entanto, ainda existem exceções para países onde a plataforma está indisponível. Aqueles que fazem uso desses adblocks serão impedidos de assistir vídeos no site após três advertências dadas.

Os usuários brasileiros começaram a ser atingidos por esta política do YouTube contra adblocks por volta do dia 26 de outubro. Pela nova regra, aqueles usuários que acessam um vídeo usando o adblock ativo recebem um aviso informando que após a terceira visualização, o player será bloqueado se a ferramenta não for desativada. Os usuários deverão, então, desativar o adblock ou adicionar o YouTube à lista de permissões para liberar o player.

youtube
Imagem: Reprodução Tech advisor

Leia mais:

- Publicidade -

Adolescente vítima de bullying e homofobia abre fogo em escola, mata uma e fere dois

Ataque em escola desperta alerta: Lula condena fácil acesso de jovens a armas

O YouTube quer incentivar os anúncios ou assinaturas Premium

Uma resposta do YouTube ao Tecnoblog afirmou que o objetivo desta ação contra os adblocks é incentivar os usuários a assistirem anúncios ou optarem pela assinatura do YouTube Premium para obter uma experiência sem publicidade. Esta nova abordagem levanta questões importantes: será que isso irá impelir os usuários a aceitarem os anúncios ou assinar o YouTube Premium? Como isso afetará a experiência de visualização global?

Os adblocks e a ausência de concorrência no YouTube

- Publicidade -

Alguns usuários reagiram à nova política, afirmando que pretendem boicotar o YouTube. No entanto, o YouTube continua sendo a plataforma de vídeos mais popular e com a maior quantidade de conteúdo disponível. Por isso, é provável que a maioria das pessoas simplesmente se acostume com essa nova regra, assine a versão Premium ou aguarde por atualizações dos adblocks. considerado.

Opções alternativas ao YouTube podem ganhar espaço?

Em termos de plataformas que oferecem conteúdo longo semelhante ao disponível no YouTube, uma das poucas opções é o Nebula, um serviço de streaming com participação de vários criadores de conteúdo do YouTube, mas é um serviço pago. Para quem procura entretenimento rápido, o TikTok pode se tornar uma alternativa mais forte, visto que seus anúncios podem ser simplesmente arrastados para fora da tela. Ficamos no aguardo para ver oque irá acontecer.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. AceitarLeia mais

Horóscopo Do Dinheiro: 5 Signos Que Terão Muita Grana Este Ano BioBoost: A IA do LinkedIn que Potencializa sua Presença nas Redes Sociais Tiktok: Plataforma é banida em mais um país no meio político Chamas da Vingança se Espalham: A Saga de Denzel Washington Continua na Série Original da Netflix Adeus ao Bosque dos Cem Acres: Por que o Novo Filme do Ursinho Pooh está Sendo Retirado das Telonas