- Publicidade -

Saiba de 5 motivos para tomar cuidado ao utilizar o Google Bard!

0

Atualmente a grande maioria das notícias é sobre as Inteligências Artificiais. O desenvolvimento dessas ferramentas foi impulsionado pelo enorme sucesso do ChatGPT, condicionando assim o surgimento do Bard.

- Publicidade -

O Bard é uma IA generativa, nos mesmos padrões do ChatGPT, contudo foi criado e desenvolvido pelo Google.

Leia Mais:

ChatGPT ganha concorrente diretamente do Google, o Bard

Google fotos aprimora funcionalidade para usuários; Confira

- Publicidade -

Oficialmente o Bard ainda não foi lançado, contudo, ele já pode ser utilizado em sua fase de testes, ou em outras palavras, em seu modelo experimental.

Contudo, os debates sobre a utilização de IAs existem por algum motivo, ou seja, há problemas. Sendo assim, veja aqui cinco motivos para não utilizar o Google Bard!

5 contras na utilização do Google Bard

ChatGPT ; Bard
Fonte: Olhar Digital

Fase experimental

- Publicidade -

Inicialmente é importante ressaltar que o Google Bard é experimental, ou seja, todos os motivos para não utilizá-lo são relativos ao momento em que esta matéria está sendo escrita e que a ferramenta ainda não foi “lapidada”.

Dito isso, como qualquer produto em fase experimental, o Google Bard não apenas pode apresentar defeitos, como vai apresentar defeitos.

Isso acontece pois ele é uma IA sendo treinada por meio de ‘Machine Learning’, em outras palavras, quanto mais for utilizado, mais aperfeiçoado será.

Então nessa fase inicial, tal qual o ChatGPT em sua fase inicial, ainda há muito a ser desenvolvido.

Respostas insatisfatórias

Justamente por conta do comentado no item anterior, o Google Bard ainda apresenta respostas pouco precisas, insatisfatórias ou até inseguras.

Isso pois, já que ainda está em fase de testes, e sabe-se que há falhas, caso a IA apresente uma resposta correta, mas o usuário diz ser incorreto, o Bard se desculpará e apresentará uma nova resposta.

Ou seja, mesmo que sua resposta esteja certa, a IA não está “segura”, portanto, pode ser induzida a falha.

Além disso, suas respostas tendem a ser um tanto quanto diretas e objetivas, sem muitas discussões, o que pode levar o usuário a não saber como continuar o diálogo. 

Informações que não foram checadas

Uma das diferenças do Bard em relação ao ChatGPT é o fato de que, por ser produzido pela Google, ele tem acesso a internet e pode buscar por respostas e refiná-las para o usuário.

Ainda que esse seja um recurso interessante, como todos sabem, a internet está cheia de conteúdos falsos ou enganosos, sendo assim, falta a IA ou a equipe de desenvolvimento, checar as informações que estão sendo entregues. 

Limitações em mídia

Outras de suas novas funções é a capacidade de por meio da pesquisa na internet oferecer recursos de mídia para o usuário.

Porém, conforme mencionado, essa é outra das funções que ainda está em fase experimental, portanto, há um banco de dados muito pequeno das mídias que a IA pode oferecer para os usuários. 

Conversas monitoradas

Novamente reiterando, por ser uma fase de testes da IA, aqueles que tenham interesse em utilizá-la estão sujeitos a ter suas conversas monitoradas.

Isso porque a equipe de desenvolvimento ainda está trabalhando no Google Bard e então precisa ocasionalmente acessar algumas conversas para compreender como a IA está trabalhando e se está fornecendo as respostas adequadas para os usuários.

Porém tudo isso é avisado para o usuário, antes de acessar o Google Bard, sendo inclusive necessário concordar com os termos de uso e de experimento ao qual está utilizando.

Conforme o próprio Google Bard avisa seus usuários: “Não insira informações confidenciais”. 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. AceitarLeia mais

Horóscopo Do Dinheiro: 5 Signos Que Terão Muita Grana Este Ano BioBoost: A IA do LinkedIn que Potencializa sua Presença nas Redes Sociais Tiktok: Plataforma é banida em mais um país no meio político Chamas da Vingança se Espalham: A Saga de Denzel Washington Continua na Série Original da Netflix Adeus ao Bosque dos Cem Acres: Por que o Novo Filme do Ursinho Pooh está Sendo Retirado das Telonas