- Publicidade -

Deputado pede o fim do diploma para 106 profissões e gera polêmica

0

O Projeto de Lei, que foi apresentado por Tiago Mitraud do Partido Novo, alega que a obrigatoriedade do diploma é “mercantilismo e reserva de mercado”. Entenda

- Publicidade -

A proposta foi apresentada pelo deputado do Partido Novo (PN), Tiago Mitraud ainda no final do ano de 2022. Porém, segue causando olhares negativos e debates na internet e no meio acadêmico.

O PL do ex-candidato à vice-presidência na chapa do PN, solicita o fim da obrigatoriedade do diploma para diversas profissões como medicina veterinária, engenharia e da prova da OAB para advogados.

O projeto conta com profissões que nunca sequer, requisitaram diploma para o exercício como depilador, manicure e pedicure.

O que Mitraud deseja?

- Publicidade -

Tiago diz que sua meta é acabar com a reserva de mercado para as 106 profissões. Para ele, o diploma colabora com a exclusão e com o aumento do índice de desemprego.

vagas de emprego, feirao ; diploma
Fonte: Poder 360

“Para minimizar essa cultura arbitrária e por não considerar que a melhor forma é por meio dessas leis, que criam conselhos de classe que teoricamente fiscalizam mas nada fazem, muito menos controle de qualidade”, diz ele ao falar sobre sua motivação para defender a medida.

Ele, que mesmo formado em administração, acredita que o curso não deveria exigir diploma para ser empregado. Ele acredita que a graduação não garante a segurança da população, mas sim, interesses empresariais.

O deputado diz que não defende o fim das universidades e sim, o fim da regulamentação excessiva, que atrapalham o mercado e a contratação de profissionais.

- Publicidade -

Ele tem somente dois representantes do Novo eleitos na câmara e, mesmo assim, acredita que a medida possa ser votada e até mesmo, implementada.

Conselhos são contra o fim do diploma

Apesar de não ser um risco que dê muito medo aos estudantes e pessoas a favor do diploma, os conselhos das profissões afetadas por Mitraud, são completamente contra da medida e já estão se pronunciando sobre.

Os oceanógrafos, por exemplo, lutaram até o ano de 2008 para serem reconhecido como profissões em que o diploma é obrigatório, seriam muito prejudicados e ficariam frustrados.

O presidente da Associação Brasileira de Oceanografia, Fernando Luiz Diehl, conta que o processo durou dois governos para ser acatado, os de FHC e Lula.

“A proposta é intempestiva, absurda, ridícula. Trata-se de uma ideia natimorta, uma perda de tempo de gente que não tem o que fazer. Quem teve essa ideia descabida é um idiota, que não sabe o histórico de nada”, diz Diehl com toda a sua revolta.

O deputado federal Rogério Correia (PT) afirmou que vai promover um debate com Tiago, que deve ser vetado.

“Acredito que a chance desse projeto ser aprovado é mínima. Vai tramitar neste ano, é um direito, mas pra o Brasil seria um grande desserviço. Tiago Mitraud segue a velha cantilena capitalista do seu partido. Acredito que lançou mão dessa proposta para marcar sua posição radical”, desabafou.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. AceitarLeia mais

Horóscopo Do Dinheiro: 5 Signos Que Terão Muita Grana Este Ano BioBoost: A IA do LinkedIn que Potencializa sua Presença nas Redes Sociais Tiktok: Plataforma é banida em mais um país no meio político Chamas da Vingança se Espalham: A Saga de Denzel Washington Continua na Série Original da Netflix Adeus ao Bosque dos Cem Acres: Por que o Novo Filme do Ursinho Pooh está Sendo Retirado das Telonas