- Publicidade -

Usuários do Deezer têm dados expostos. Confira!

0

Brasileiros e pessoas de outros países, têm dados como data de nascimento, endereço de e-mail e IP vazados. Veja o que a Deezer falou sobre o problema que vem sendo causado desde 2019.

- Publicidade -

Na última segunda-feira (2), o Have I Been Pwned expôs um vazamento de dados de 229 milhões de contas da plataforma Deezer que afetou brasileiros e pessoas de outros países. As informações fazem parte de um arquivo de backup exposto em 2019. Os atingidos devem ter recebido um alerta na última madrugada.

De acordo com a notificação do alerta, a plataforma foi vítima de um vazamento de dados em 2019, porém só foi descoberto agora em 2022.

A exposição de 229.037.936 contas fez com que dados como e-mail, endereço IP, nome, idiomas falados, localização geográfica e datas de nascimento fossem expostas para que todo o mundo pudesse ver.

Os dados expostos

- Publicidade -

A população brasileira foi uma das partes mais atingida pelo vazamento. São aproximadamente 37,1 milhões de contas afetadas. Só perdem para os franceses, com 46,2 milhões.

A Deezer notificou: “fomos informados de que um de nossos parceiros sofreu uma violação de dados em 2019 e um snapshot das informações não confidenciais de nossos usuários foi exposta”.

A empresa ainda informou que o parceiro não faz mais parte do time desde 2020. “Os sistemas de segurança da Deezer permanecem eficazes e nossos próprios bancos de dados são seguros”.

Have I Been Pwned

Troy Hunt, o responsável pelo site que expôs o streaming, fez considerações sobre toda a situação na sua conta do Twitter.

- Publicidade -

Ele considera este, o maior vazamento vazado pela plataforma desde o caso que aconteceu com o Facebook em 2021 com os números de telefone. Troy ainda acredita que teve falha de segurança da empresa:

“Curiosamente, ao examinar meus registros sobre este caso, encontrei um tweet do final de 2019 sobre uma possível violação de segurança”, afirmou. “Este é um cara de segurança da informação, mas suas datas podem não estar alinhadas, pois o carimbo de data/hora mais recente que encontrei nos dados foi abril de 2019.”

O que acontecerá com o Deezer?

De acordo com advogado Danilo Roque, especialista em Proteção de Dados, explica que as penalidades previstas só começaram a funcionar em 2021. Sendo assim, como o infortúnio aconteceu em 2019, o Deezer não estaria sujeito às sanções da legislação de proteção de dados.

Porém, caso algum consumidor tenha sofrido prejuízos provenientes do vazamento, poderá ser indenizado. Este, deve conseguir provar que foi penalizado.

“Existe a possibilidade de o Deezer vir a ser autuado com base no Código de Defesa do Consumidor (CDC)”, disse ele.

O Deezer confirmou o vazamento, porém não deu o braço a torcer ao dizer que: “O vazamento aconteceu quando um parceiro, com o qual não trabalhamos desde 2020, sofreu uma violação de dados. Contudo, nenhuma informação sensível, como senhas e CPFs, foi exposta. Nosso banco de dados continua seguro. Mas sempre recomendamos que os usuários atualizem suas senhas regularmente, para manter seus dados ainda mais seguros”.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. AceitarLeia mais

Horóscopo Do Dinheiro: 5 Signos Que Terão Muita Grana Este Ano BioBoost: A IA do LinkedIn que Potencializa sua Presença nas Redes Sociais Tiktok: Plataforma é banida em mais um país no meio político Chamas da Vingança se Espalham: A Saga de Denzel Washington Continua na Série Original da Netflix Adeus ao Bosque dos Cem Acres: Por que o Novo Filme do Ursinho Pooh está Sendo Retirado das Telonas