- Publicidade -

MEI: novo faturamento pode ser definido ainda em 2022

0

Deputado solicitou em requerimento que o faturamento do MEI seja discutido após o primeiro turno das eleições.

- Publicidade -

Podem surgir mudanças significativas para o Microempreendedor Individual (MEI) em 2022. É esperado um aumento no limite de faturamento anual que permitirá que mais empreendedores integrem o segmento.

MEI, Receita Federal

Talvez você goste de ler:

Mais de MIL vagas de emprego disponíveis em Porto Alegre somente NESTA SEMANA

- Publicidade -

FGTAS/Sine abrem 7.390 vagas de emprego no RS

O deputado federal Felipe Carreras solicitou, por meio de um requerimento, que o Projeto de Lei Complementar nº 108/2021, que trata do aumento do faturamento de R$ 81 mil para R$ 130 mil para microempreendedores individuais (MEI), seja discutido após o primeiro turno das eleições deste ano, junto ao retorno das atividades do Congresso Nacional. O Projeto já foi aprovado no Senado e aguarda votação na Câmara.

De acordo com a Secretaria Especial de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia, quase 70% das empresas que estão ativas no Brasil são MEI, representando cerca de 14 milhões de negócios.

“Os pequenos negócios são uma das maiores alavancas da economia do Brasil. Trabalhar para garantir menos burocracia e facilitar a vida de quem gera emprego e renda no país é um dos nossos compromissos”, afirmou o deputado.

O diretor do Departamento Nacional de Registro Empresarial e Integração do Ministério da Economia (DREI), André Luiz Santa Cruz, afirmou em matéria da Agência Brasil, publicada em junho de 2022, que o Brasil não é mais um país “hostil ao empreendedorismo”.

- Publicidade -

No ano de 2021, mais de 3,9 milhões se registraram como microempreendedores individuais ou formalizaram micro e pequenas empresas, registrando um crescimento de 19,8% em relação ao ano de 2020. As informações são resultado do levantamento realizado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Fomos marcados por um terrível cenário econômico durante a pandemia da COVID19, no qual muitos trabalhadores foram forçados a empreender em prol de um sustento.

Levantar e gerar dinheiro enquanto todos deviam manter-se seguros em casa caracterizou-se a maior barreira da época, ultrapassá-la, deixou marcas, memórias e tragédias para a população, não somente brasileira, como também houve um impacto mundial.

A realidade de diversos setores, desde os mais formais até os informais, foi de que a falta de ganho monetário supria a fome e outras dificuldades enfrentadas naquele cenário. Estes foram às ruas em busca de uma oportunidade.

Parecia impossível colher frutos diante de um período tão difícil, porém o ingresso “forçado”, no entanto, como lembra o Sebrae, transformou-se para alguns em oportunidade e em um negócio ou carreira.

Para os que já se sentem vocacionados para empreender, a mudança proposta é igualmente bem-vinda.

“Sair da informalidade e se formalizar sendo MEI gera uma série de benefícios àqueles que querem gerar empregos e investir em empreendimentos que prosperem. O Brasil só tem a ganhar”, concluiu Felipe Carreras.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. AceitarLeia mais

Horóscopo Do Dinheiro: 5 Signos Que Terão Muita Grana Este Ano BioBoost: A IA do LinkedIn que Potencializa sua Presença nas Redes Sociais Tiktok: Plataforma é banida em mais um país no meio político Chamas da Vingança se Espalham: A Saga de Denzel Washington Continua na Série Original da Netflix Adeus ao Bosque dos Cem Acres: Por que o Novo Filme do Ursinho Pooh está Sendo Retirado das Telonas